top of page

Bitcoin preserva nível crítico em meio a receio de banimento na Europa

Com evolução da guerra da Ucrânia no radar, investidores ficam à espera de votação que poderá resultar em banimento da criptomoeda na UE.



Após um fim de semana de queda que levou o Bitcoin (BTC) novamente abaixo dos US$ 38 mil, a criptomoeda se recupera e abre a semana de volta acima de US$ 39 mil, de modo que o suporte (zona com muito interesse de compra) de US$ 37 mil ficou preservado. No radar do investidor está a possibilidade de a moeda digital ser banida da Europa.


Em decisão de última hora, o Parlamento Europeu voltou a adicionar no projeto de regulação de ativos digitais uma proposta que pode proibir o Bitcoin no continente por preocupações com o gasto energético da mineração. A medida, se aprovada, poderia trazer resultados semelhantes ao banimento da criptomoeda na China em maio do ano passado.


Pela proposta, a o bloco passaria a exigir que todos os criptoativos estejam sujeitos aos “padrões mínimos de sustentabilidade ambiental da UE em relação ao mecanismo de consenso usado para validar transações, antes de serem emitidos, oferecidos ou admitidos à negociação na União”.


Para criptomoedas como Bitcoin e Ethereum (ETH), que já são negociadas na UE, a regra propõe um plano gradual de mudança do seu mecanismo de consenso de prova de trabalho para outros métodos que usam menos energia, como a prova de participação.


A matéria irá a votação pelo plenário hoje. Segundo pessoas familiarizadas com as discussões na UE ouvidas pelo CoinDesk, há chances de uma minoria apertada votar pela derrubada desta proposta, mas o resultado segue imprevisível.


“Foi outra semana indecisa e limitada para o Bitcoin e os mercados de criptomoedas, em que a cripto líder de mercado não conseguiu fazer nenhum progresso significativo no lado positivo”, escreveu Joe DiPasquale, CEO da gestora de fundos BitBull Capital.


“A atual ação de preço é típica durante as fases de baixa, como foi visto em maio, junho e julho, e muitas vezes precede fortes quedas de preços”, acrescentou.


O mercado também se mantém majoritariamente à espera de um cenário mais favorável na guerra da Ucrânia.


“A oscilação dos preços das criptomoedas perto de um preço que levou a mínimas no mês passado também está relacionada à incerteza sobre as ações militares entre a Rússia e a Ucrânia”, disse DiPasquale. “Assim como os mercados de ações reagiram negativamente, os mercados de criptomoedas fizeram o mesmo.”


O Bitcoin chegou a operar acima dos US$ 40 mil na semana passada após a divulgação do conteúdo de um decreto do presidente dos EUA, Joe Biden, sobre a regulação de criptos. O salto, no entanto, foi breve.


Nesta semana, investidores ficam de olho na decisão do Fomc sobre as taxas de juros da economia americana, cujo anúncio está marcado para na terça-feira (15).


“[A decisão] seria muito interessante para os mercados”, avalia o CEO da BitBull Capital. “A volatilidade é uma certeza, mas se o mercado vai subir ou cair vai depender do que o Fed anunciar”, afirma.


Em termos de análise gráfica, afirma o analista técnico do CoinDesk, Damanick Dantes, o Bitcoin continua preservando o suporte de US$ 37 mil, mas os seguidos testes dessa zona apontam para chances cada vez maiores de queda e início de uma nova tendência de baixa do BTC.


Por outro lado, o especialista aponta que sinais de exaustão de baixa estão começando a aparecer no mercado global de ações, especialmente na Europa e na Ásia. Isso, aponta, abre a possibilidade de um breve short squeeze (subida repentina que liquida posições vendidas) nos ativos especulativos na nesta semana.


Fonte: InfoMoney

Comments


bottom of page