top of page

Desenvolvedor do Ethereum é condenado a 5 anos de prisão por falar de cripto na Coreia do Norte

Virgil Griffith foi condenado pelo juiz Kevin Castel, do Distrito Sul de Nova York. Além da pena, também foi multado em US$ 100.000 por ter ensinado os norte-coreanos a usar criptoativos.



O ex-desenvolvedor da Ethereum Foundation Virgil Griffith foi condenado nesta quarta-feira (12) a 63 meses de prisão, ou mais de 5 anos, por ter realizado uma apresentação sobre criptomoedas na Conferência de Blockchain e Criptomoeda de Pyongyang, na Coreia do Norte, em 2019.


Mais precisamente, ele explicou o uso do Ethereum e os fundamentos dos contratos inteligentes na conferência.


A condenação foi proferida pelo juiz Kevin Castel, do Distrito Sul de Nova York. Além da pena, Griffith também foi multado em US$ 100.000 por supostamente ter ensinado os norte-coreanos a usar criptoativos.


Entenda o caso de Virgil Griffith


Conforme noticiado pelo CriptoFácil, em 2019 Griffith foi preso pelo FBI sob alegações de que ele teria participado de uma discussão que abordou o uso de blockchain para “evitar sanções econômicas” e para lavar dinheiro em uma conferência na Coreia do Norte.


De acordo com o processo, ele teria violado a Lei de Poderes Econômicos de Emergência Internacional dos EUA (IEEPA, na sigla em inglês) ao viajar para a Coreia do Norte.


Após sua prisão, o procurador-geral assistente John Demers disse em um comunicado:


“Apesar de receber avisos para não ir, Griffith supostamente viajou para um dos principais adversários dos Estados Unidos, a Coreia do Norte, onde ensinou seu público a usar a tecnologia blockchain para evitar sanções. Com esta denúncia, iniciamos o processo de busca de justiça por tal conduta.”


Em sua defesa, Griffith afirmou que sua apresentação continha apenas informações básicas que podem ser acessadas pela Internet.


Contudo, em setembro daquele ano, o desenvolvedor se declarou culpado das acusações federais de que conspirou com a Coreia do Norte para violar a lei de sanções dos EUA.


Apesar da declaração de culpa, a comunidade cripto e players renomados como Vitalik Buterin apoiam Griffith. Buterin afirmou que o que o ex-desenvolvedor apresentou era de domínio público. Além disso, ele não teve nenhum ganho pessoal com sua viagem. Portanto, não deveria ter sido condenado por conspiração.


Em janeiro de 2020, Griffith foi formalmente indiciado por conspiração e violação da IEEPA. As acusações tinham como prazo máximo 20 anos de prisão.


Entretanto, para sua sorte, Griffith foi condenado a “apenas” pouco mais que cinco anos de prisão.


Fonte: CriptoFácil

bottom of page