top of page

Indicador sugere nova alta no Bitcoin no longo prazo, afirma fundador da Glassnode

Segundo Yann Allemann, o número de BTC retirados das exchanges alcançou uma cifra recorde, reduzindo substancialmente a oferta de moedas e abrindo espaço para grandes valorizações.



O momento de baixa no preço do Bitcoin fez os mercados voltarem a ficar pessimistas, de acordo com o Crypto Fear & Greed Index, que caiu de “neutro” para “medo”. Contudo, o cofundador da plataforma de análise Glassnode diz que um indicador ainda mantém as esperanças de alta.


Segundo Yann Allemann, o número de BTC retirados das exchanges alcançou uma cifra recorde: US$ 4 bilhões. Ou seja, quase R$ 20 bilhões em valores atuais. A retirada de BTC implica em menos oferta no mercado e, portanto, Allemann enxerga espaço para valorizações ainda maiores.


Lucros constantes e recordes


Falando aos seus 52.700 seguidores no Twitter, Allemann disse que a métrica que ele está olhando é o Lucro / Perda de lucro não realizado da Bitcoin (NUPL, na sigla em inglês). Essa métrica serve para para determinar se os investidores estão em um estado de lucro ou perda.


Nesse sentido, o NUPL sugere que os investidores estão recebendo lucros a uma taxa mais lenta do que o crescimento do mercado. Portanto, Allemann diz que que esse é um importante e “inevitável” sinal de alta no longo prazo.


No entanto, o executivo afirma que o cenário é negativo para o curto prazo, o que pode resultar em novas correções. Mas os investidores de longo prazo seguem com sua tese de investimento inalterada.


“BTC de curto prazo é frágil, mas o comportamento de poupança está ganhando terreno. Preços mais altos a longo prazo são inevitáveis ​”, diz Allemann.


Comportamento de poupança


O executivo glassnode também aponta para a tendência crescente de hold. Isto é, ao invés de realizar pequenos lucros, os investidores preferem segurar seus BTC com foco no longo prazo.


Nesse sentido, Allemann traz métricas de longo prazo para confirmar sua tese. Uma delas é a oferta ilíquida de BTC, que está em alta nos últimos seis meses, sugerindo acúmulo maciço.


A oferta ilíquida é a parte dos BTC em circulação que não está prontamente disponível para venda, já que são criptomoedas guardadas fora de exchanges. Com o aumento das retiradas, essa oferta também tende a crescer.


De fato, a oferta ilíquida atingiu o maior valor desde maio de 2020, bem como a maior sequência de aumento: 214 dias de crescimento.


“A oferta ilíquida de Bitcoin vem aumentando nos últimos 214 dias. Superando o acúmulo de 2020. Pressão de venda está desaparecendo. Veja por si mesmo”, disse.


Na última vez que ocorreu tal movimento, o BTC valia apenas US$ 3.800 em março de 2020. Pouco mais de um ano depois, a criptomoeda entrou num rali de alta e chegou a quase US$ 70.000 em 2021 de abril.


Fonte: CriptoFácil

Comments


bottom of page