top of page

Saiba quanto tempo o Bitcoin leva para se recuperar após quedas acima de 50%

Analista pseudônimo do canal InvestAnswers faz um levantamento histórico que mostra que, em média, o Bitcoin leva 257 dias para renovar máximas históricas após perdas maciças como a que acaba de ocorrer.



Novos obituários do Bitcoin (BTC) vêm sendo publicados pelos seus detratores e a própria comunidade cripto parece estar resignada de que, sim, o mercado parece ter entrado em um ciclo de baixa depois que a maior criptomoeda do mercado chegou a amargar perdas acima de 50% em relação ao recorde histórico de preço de US$ 69.000.


Com um olhar de longo prazo, o analista pseudônimo do canal InvestAnswers procurou nas séries históricas do Bitcoin a resposta que todos estão buscando nesse momento: se, de fato, o mercado mergulhou em um ciclo de baixa, quando ele chegará ao fim e a tendência poderá ser revertida?


O analista diz que, em geral, os períodos de correção duram 89 dias e a desvalorização média do BTC gira em torno de 57% abaixo dos topos históricos. Sob essa perspectiva, a retração da maior criptomoeda do mercado pode ainda não ter chegado ao fim.


Pouco mais de setenta e seis dias se passaram desde a última alta histórica. Embora o preço tenha chegado a cair abaixo de 50% em relação ao recorde atual, nesse momento, trocando de mãos por US$ 35.700, o Bitcoin está 48% abaixo de sua maior cotação, de acordo com dados do CoinGecko.


O analista também aponta que o tempo médio que o o Bitcoin leva para se recuperar e alcançar uma nova máxima histórica após correções severas é de 257 dias. Com base nesse indicador, pode-se esperar uma nova máxima histórica do BTC entre o final de julho e o começo de agosto deste ano.


No entanto, esses 257 dias podem ser enganosos, pois os mercados baixistas de 2013 a 2015 e de 2017 e 2018 duraram 1.181 dias e 1.079 dias, respectivamente, até a consolidação de uma nova máxima histórica. Ao passo que esses números caem muito tomando 2021 como base, ocasião em que o Bitcoin registrou três máximas históricas em um intervalo de menos de oito meses, ou 240 dias.


Da alta histórica de US$ 64.800 em 14 de abril até o fundo de US$ 29.278 em 20 de julho foram 95 dias. Até a renovação da máxima histórica em 20 de outubro, 185 dias. Daí até o recorde de preço atual de US$ 69.000 foram apenas mais 21 dias.


Esses 257 dias, no entanto, são expandidos pelos mercados baixistas de 2017-2018 e 2013-2015, que levaram 1.079 dias e 1.181 dias, respectivamente, para renovação de recordes históricos de preço. Já o ciclo de baixa de 2011 fica em um meio termo, pois foram 631 dias até que uma nova máxima fosse atingida.


Excluídos os dois ciclos de baixa mais longos da história, o tempo médio que o BTC leva para renovar um recorde histórico de preço é de apenas 64 dias. O analista entende que este é o número ao qual os investidores devem estar atentos, pois o último ciclo de alta, provavelmente encerrado em novembro do ano passado, representa uma mudança no comportamento de mercado do Bitcoin. Assim como outros analistas haviam apontado anteriormente, os ciclos agora tendem a ser mais longos e menos definidos:


"Vamos voltar para onde estávamos há 70 dias atrás – US$ 68.800? Sim, vamos. Só não sei quando, mas pode ser em breve porque, historicamente, o repique acontece em 64 dias. Mas isto são apenas números. História. Eu sei que as coisas são muito mais longas agora. Os ciclos são mais longos, mas também os mercados disparam e caem com uma frequência maior do que nunca."


O analista também apresenta a principal variável que está em jogo na definição do timing do mercado daqui por diante: a revisão da política monetária do Banco Central dos EUA (FED) com um aperto nos estímulos monetários e uma série de aumentos da taxa de juros ao longo do ano numa tentativa de conter a inflação nos EUA.


No entanto, conforme noticiado recentemente pelo Cointelegraph Brasil, os mercados já teriam precificado as futuras ações do FED na medida em que elas já estão delineadas há algum tempo. Assim, haveria margem para uma recuperação no médio prazo e o momento atual seria uma oportunidade única de comprar na baixa.


Fonte: Cointelegraph

Commentaires


bottom of page